DATA

sábado, 25 de julho de 2015

A PARTILHA DO REINO

 

A Palavra de Cristo fará nascer a partilha,
Quando os irmãos no amor se abraçarem, 
Quando acontecer a perfeita comunhão,
Como numa festa se confraternizarem.
E assim deixando que a vida possa pregar,
Numa ação viva de tudo se partilhar,
E do amor fraterno se alimentarem.

Porque persiste a fome em nosso mundo?
Quando tantos se encontram na mesa do Senhor?
E se extasiam do encontro aconchegante,
Mas parece que no envio perde-se o ardor.
Volta-se pra casa com uma certa incoerência,
Porque não se deixa palavra habitar a consciência,
E o coração inflamar-se do divino amor.

O Senhor nos pede que vivamos a partilha,
E que as sobras dos pães sejam guardados,
Para quando um novo encontro vir a acontecer,
E os irmãos famintos sejam também alimentados,
Porque o amor e a partilha grande milagre serão,
Para que não passe fome nem um dos irmãos,
Que ao pão da vida eterna tenha procurado.

E assim o mundo será novo e muito diferente,
Quando compartilharmos carências e os sentimentos,
O mar da fome e da morte será atravessado,
Porque todos os homens serão alimentados,
E a sede também não terá mais vez,
Porque também não haverá a escassez,
E a casta água saciará todos os necessitados.

Hoje vamos à mesa santa do Senhor mais uma vez,
Para comermos o pão do amor e da comunhão,
Para beber o vinho da vida e da alegria,
No encontro que nos faz todos irmãos.
Para que sejamos para o mundo a fraternidade,
Testemunho que alerta toda a humanidade,
Para o caminho leva vida e à salvação.

sábado, 18 de julho de 2015

A COMPAIXÃO DE JESUS

Coração que acolhe,
Que tem atenção,
Que dispensa o descanso,
Que dá proteção,
Que tem tanto amor,
Vê no povo o valor,
Da sua missão.

Coração que contempla
Que vem abraçar,
Que olha as ovelhas,
Sem as desprezar
Pastor santo e forte,
Que expulsa a morte,
Para a vida dar.

Coração solidário,
Com olhar sempre atento,
Para os desprezados,
Sendo altar e alimento.
Aos que vem ao convívio,
Traz a todos o alívio,
Saciando os sedentos.

Coração que ensina,
E nos chama atenção,
Pelos tantos desprezos,
E ausência da missão,
De alguns dos pastores,
Que não são protetores,
Por faltar compaixão.

Coração que alerta,
Sobre o nosso egoísmo,
Quando buscamos bem estar,
Somente no individualismo,
Esquecemos os sofridos,
Abandonamos os feridos,
E vivemos o cinismo.

Abrasai ó Senhor,
Nosso ser, nossa vida,
Tocai nossa memória,
Às vezes adormecida.
Ensinai a compaixão,
Para vivermos a ação,
Na missão assumida.


domingo, 12 de julho de 2015


Ide missionários, dai a minha paz,
Vão onde precisam do meu amor,
Vão sem acúmulos e sem as riquezas,
Ide trabalhar para expulsar a dor,
Caminhai atentos pelas estradas da vida,
Aceitai aqueles que te dão acolhida,
E não levai nada, nem traga rancor.

Ide profetas do amor divino,
Dispensem as tuas tantas bagagens,
Deixai o corpo leve para caminhar,
A verdade será a tua mensagem.
Pregai com tua discreta humildade,
Vivei na tua simplicidade,
Trazei em teu rosto a minha imagem.

Caminhai dois a dois por onde fores,
Para não caíres no egoísmo,
Partilhai as tristezas e as alegrias,
Expulsai de vós o individualismo,
Formai um povo em comunidade,
Plantai a paz e a fraternidade,
E não esquecei o teu profetismo.

Falai a todos do Reino do Pai,
Testemunhai antes mesmo de falar,
Vivendo a entrega e o desapego,
Pois é a tua vida que deve falar,
Deixando que meu amor possa agir,
E que minha palavra possa fluir,
Sem tuas bagagens a sufocar.

Agindo assim tudo será novo,
A beleza das flores então surgirá,
Mundo diferente nós todos veremos,
E o amor infinito então brotará.
Cessará a violência, virá comunhão,
As grades e cadeias ausentes estarão,
E a fraternidade todos a propagar.


sexta-feira, 3 de julho de 2015

 UM OLHAR ALÉM DO HUMANO

Ele não é para nós somente,
O Jesus de Nazaré,
Que viveu perto da gente,
Que nos diz quem ele é.
Ele é o verbo prometido,
Mas não é bem acolhido,
Porque a muitos falta fé.

Ele não tão somente,
O homem espetacular,
O prodigioso e admirado,
Que  a alguns veio curar.
É o Messias esperado,
Por muitos, ignorado:
Por seu povo e seu lugar.

Ele caminhou conosco,
Cheio de simplicidade,
Caminhou pelas estradas,
Visitou tantas cidades,
A nossos olhos tocou,
Fez andar e perdoou,
Trouxe-nos a dignidade

Ele é também para nós,
Além do nosso olhar humano,
O filho do Deus Vivo,
Que tem para nós um plano,
Plano de reconciliação,
De amor e salvação,
Tirando-nos do desengano.

Ele traz também a nós,
Palavra de transformação,
Viva eficaz e cortante,
Que rasga nosso coração,
Fazendo-nos voltar a traz.
Da guerra para a viva paz,
Seu amor é a revolução.

Veio também pra curar,
Pra pregar e reunir,
Tornando-se nosso irmão,
Sua voz fez-se ouvir.
Venceu a morte e a dor,
É o nosso salvador,
Vida nova fez surgir.

terça-feira, 30 de junho de 2015

A ENTREGA TOTAL POR CRISTO

Coração que se enche do amor Cristo,
Pela coragem e pela confiança,
Pela quebra das tantas correntes,
Num amor e também na esperança,
Que segue os passos do mensageiro,
Que com ele se faz caminheiro,
Nos passos firmes e eterna confiança.

Pedro pescador lá da Galileia,
Que por Cristo se apaixonou,
Que pecou durante a sua caminhada,
Mas depois na fé se reconciliou,
Que como Cristo foi martirizado,
E como serviço recebeu o prelado
Que antes o Mestre lhe predestinou.

Paulo, judeu justo e estudado,
Que perseguiu a Cristo injustamente,
Trazendo a morte aos primeiros cristãos,
Mas que se deixou amar ardentemente,
Quando para Damasco foi abordado,
Pela Luz do Senhor sendo inundado,
Sentiu-se fraco, sego e impotente.

Apóstolos colunas da Igreja,
Que sustentam a fé e também a missão,
Mantendo a unidade de todos os batizados,
Pela obediência, amor e comunhão,
Fazendo o evangelho o mundo iluminar,
E não deixam a Igreja que venha afundar,
Porque Cristo é a rocha de sua construção.

E a todos os irmãos no mundo inteiro,
Seguidores da vida e do amor,
Que vivem a alegria do Evangelho,
Sejam discípulos fiéis de Nosso Senhor,
Aprendam de Pedro e Paulo esta lição,
Espalhando a Palavra santa pela missão,
Na entrega total e no forte ardor.

sábado, 20 de junho de 2015

COM JESUS À OUTRA MARGEM

No caminhar desta vida terrestre,
Ou em meio ao mar das contradições,
Navegamos em meio às tempestades,
Nas águas fortes das agitações.
Para a outra margem nós então remamos,
De encontro ao medo que enfrentamos,
E o Senhor acalma nossos corações.

Porque o medo nos vem tão forte?
Porque de Cristo duvidar?
Se ele caminha conosco tão presente,
E a gente vem a se apavorar?
Será porque ainda duvidamos,
Que somente no medo o buscamos?
Se ele conosco sempre está?

E para atravessar esse mar bravio,
E para o outro lado levar o Senhor,
Precisamos vencer a insegurança,
Que nos invade como um terror,
Precisamos também o outro aceitar,
Levando a palavra que vai salvar,
Com a força viva que é o amor.

E no nosso barco do qual estamos,
Outros irmãos estão remando,
Também com medo da tempestade,
Que no dia-a-dia vão enfrentado,
São tantos monstros a insistir,
Querendo a comunhão destruir,
Mas o Senhor está operando.

Então busquemos seguir em frente,
Tendo a certeza do Senhor presente,
Não somente na calmaria,
Mas na tempestade principalmente,
Porque ele quer nosso seguimento,
Em cada dia, em cada momento,
Porque é assim o discípulo crente.

E no hoje da grande embarcação,
Quando impera as contradições,
Quando não se confia mais na providência,
Quando muitos navegam nas ilusões,
Os cristãos precisam firmes seguir,
Com Cristo presente a os unir,
Vencendo o mar das decepções.

sábado, 13 de junho de 2015

A SEMENTE DO REINO

Como semente jogada na terra,
Para que possa germinar,
Assim é Palavra Santa
Que nos vem encontrar.
E em nossos corações,
Causa-nos transformações,
Fazendo-nos levantar.

Mesmo nas noites e dias,
Sem ninguém a perceber,
Vai germinando e crescendo,
Cada dia a aparecer,
Nasce com a força divina,
Fala-nos e nos ensina,
E Reino a florescer.

Palavra semente santa,
Vem pela força do amor,
Transformando tantas vidas,
Tirando a tristeza e dor.
Cresce, cresce sem parar,
Ninguém pode atrapalhar,
A Palavra do Senhor.

Mesmo a nossa demência,
A poderá impedir,
Qual força transformadora,
Que faz o Reino surgir,
Calmamente arrebentando,
Crescendo e transformando,
Ninguém poderá impedir.

Quem poderá entender?
O sentido mais profundo,
Desta palavra Santa,
Que veio habitar o mundo.
Somente na intimidade,
Vivendo a simplicidade,
E num caminhar bem fecundo.

E Reino que se espalhou,
Cresceu e se multiplicou,
E o Verbo encarnado,
Que por nós se apaixonou,
É forte e vitorioso,
Santo e misericordioso,
Que por nós se entregou.